quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Pássaros 'atacam' avião na Alemanha



Parece uma cena de um filme de Hitchcock e é, na verdade, assustador. Um grande grupo de pássaros parece "atacar" um avião da Germania Airlines que decola do aeroporto de Dusseldorf, na Alemanha, com 80 pessoas a bordo, rumo a Kosovo. Na foto dá para ver manchas de sangue na fuselagem e na entrada da turbina direita da aeronave. Acredita-se que dezenas de aves tenham sido sugadas pela turbina, o que colocou seriamente o avião sob risco de queda ao atingir cerca de 360 quilômetros por hora.

Fonte: http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/#227900
Esta notícia eu li no blog Direto da pista.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Apertem os cintos... o piloto ou o controlador dormiu!!!!!!


Piloto culpa torre por problemas em aterrissagem em Florianópolis. No momento em que a aeronave entraria na pista teve de dar lugar para outra sair. (clique em "mais informações" para ler a matéria)


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Início de nova disciplina - AERODINÂMICA






(Esquema das quatro forças da aerodinâmica, atuando na asa de um avião.)


(Tipos de Arrasto e Redemoinho.)


O nome aerodinâmica está relacionado ao estudo da dinâmica dos corpos que se movem dentro de fluidos como o próprio ar e outros gases, sendo um ramo importante da mecânica dos fluidos. Como exemplos de aplicações da aerodinâmica, podemos citar a criação dos corpos dos aviões, formato de projéteis e até mesmo a construção de simples cataventos. A base de estudo da aerodinâmica é determinada através uma lei: O Princípio de Bernoulli. Este princípio relaciona a velocidade do fluxo do ar e a pressão correspondente, desta forma temos que para maiores velocidades de fluxo, correspondem menores valores de pressão, assim como para aumentos de pressão, correspondem diminuições na velocidade de fluxo.

Deixo aqui uma sugestão para uma experiência extremamente simples onde é possível verificar a atuação das forças da aerodinâmica:





quarta-feira, 23 de setembro de 2009

EMBRAER 001



     A Embraer se prepara para entregar o primeiro Emb-190GV para a Força Aérea Brasileira. O FAB 2590, designado militarmente como VC-2 e batizado de "Bartolomeu de Gusmão" será operado pelo Grupo de Transportes Especiais (GTE) e servirá a Presidência da República.
     Serão dois VC-2 (FAB 2590 c/n 0214 e FAB 2591 c/n 0277) que irão substituir os clássicos Boeings 737-200 (VC-96) utilizados para deslocamentos nacionais e regionais, bem como aeronaves de apoio em grandes deslocamentos.
    Encomendados em meados de 2008, os dois Emb-190 fabianos precisaram passar por algumas adequações para estarem aptos as missões de transporte presidencial. Com autonomia maior que seus pares civis, os VC-2 foram internamente configurados com espaços reservados para reuniões e descanso do Presidente e sua comitiva, limitando o número de passageiros para aproximadamente 35. A tecnologia embarcada para navegação e comunicação foi especialmente instalada para servir com segurança ao primeiro mandatário da nação.
     Externamente os VC-2 do GTE receberam uma pintura diferenciada do restante da frota VIP do esquadrão, e ostentam duas faixas diagonais em verde-amarelo na parte frontal da fuselagem.
     Há pouco mais de 20 anos era inimaginável cogitar na possibilidade de uma aeronave Embraer substituir um Boeing como Força Aérea 001. Esperamos que os VC-2 possam substituir a altura os dois VC-96 que certamente irão deixar boas lembranças, pela confiabilidade e segurança.
( Foto: Rubens Barbosa Filho © - SJK 22/09/2009 - www.AeroEntusiasta.com.br )

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Manutenção de aviões comerciais no Brasil já causa grandes disputas

O mercado de manutenção de aeronaves comerciais no Brasil está crescendo. Com a expansão da frota brasileira as empresas especializadas de manutenção e reparos de aeronaves e interiores acirraram a disputa por novos clientes e capacitações. 

terça-feira, 15 de setembro de 2009

SP terá pólo aeronáutico


Depois do Rio Grande do Sul e Minas Gerais, o estado de São Paulo foi escolhido pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para sediar o 3º Pólo de Capacitação Aeronáutica do Brasil. O estado tem a maior frota de aeronaves do país, e hoje abriga mais de 10 companhias aéreas brasileiras. O objetivo do programa é integrar o trabalho das empresas envolvidas para formar pessoas e desenvolver políticas públicas para a aviação civil. A proposta pretende ainda oferecer atividades voltadas para o treinamento de recursos humanos, além de desenvolver e difundir novas tecnologias.
A assinatura do Protocolo de Intenções ocorrerá no próximo dia 16, no escritório da Anac em São José dos Campos. O acordo será firmado entre a Anac, o Governo do Estado de São Paulo, a Prefeitura de São José dos Campos, a Aiab (Associação das Indústrias Aeroespaciais Brasileiras) e o Ceeteps (Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza).
by Revista Aeromagazine

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Mercado aéreo brasileiro vai dobrar até 2014, diz presidente da TAM.

Durante Copa, tráfego vai ser equivalente ao de 2020, segundo executivo. David Barioni Neto diz que preço das passagens no Brasil já está caindo.

O presidente da companhia aérea TAM, David Barioni Neto, disse nesta quarta-feira (9) que o mercado aéreo no Brasil vai dobrar até 2014, ano da Copa do Mundo de futebol no Brasil. Barioni falou em chat especial a internautas do G1, com o tema "Empresas e soluções para a crise". Segundo o executivo, serão 120 milhões de passageiros no país nesse ano. "Mas nos 45 dias da Copa o tráfego vai subir muito, vai ser equivalente ao tráfego esperado para 2020". O executivo diz que o preço das passagens no Brasil já vem caindo, mas que, para que caia ainda mais, é necessário aumentar a oferta e demanda. "Só 8% da população brasileira voa. Na Argentina, esse número chega a 35%", diz ele. Para Barioni, porém, o país precisa de infraestrutura, como mais pistas de pouso e decolagem e aeroportos. "Sem mais aeroportos, não conseguimos embarcar mais passageiros."
Ele confirmou ainda, os números de crescimento do setor, ao dizer que o mercado doméstico de aviação no Brasil cresce a uma taxa de entre 7% e 10% ao ano.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A modernização de aeroportos é salutar nos moldes apresentados?

O meio aeronáutico vem observando uma campanha nacional pela privatização dos aeroportos brasileiros. Na mira, estão alguns dos principais aeroportos do país (Galeão, Viracopos, novo aeroporto de SP, Campos/RJ etc).
O assunto está sendo discutido no primeiro escalão do governo. Os ministros Nelson Jobim (Defesa) e Dilma Roussef (Casa Civil), a presidência da Anac e da Infraero, são favoráveis à privatização de alguns aeroportos, apoiados e pressionados por alguns governadores de estado. Aliás, tal campanha, teve início com o governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, pela privatização do Galeão.
Há “boatos”, de que o futuro da Infraero possa estar na formação de uma outra empresa, com a participação da brasileira Camargo Corrêa, do grupo suíço Unique e do chileno IDC, os dois últimos com experiência na administração aeroportuária. Do outro lado, meio que solitariamente, fazendo oposição à idéia da privatização, esta o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina).
O argumento do sindicato é bastante vil. – “Apenas doze aeroportos são viáveis financeiramente. É a receita deles que mantém os outros 55 e as demais unidades. No último balanço, a Infraero apresentou um lucro antes das obras nos aeroportos com recursos próprios de R$ 261,2 milhões. O que demonstra a viabilidade orçamentária da empresa, que já soma 35 anos de experiência na atividade. Além do mais, em diversas pesquisas e opiniões de empresas do ramo mundial, a Infraero está sempre entre as melhores gestoras de aeroportos do mundo. Modernizar a infraestrutura aeroportuária brasileira é essencial, mas isso não exige a abertura de um processo de privatizações, entregando importante setor da soberania nacional (altamente rentável, por sinal), muito menos nos moldes que estão sendo desenhados, à iniciativa privada”. Fora isso, temos questões supra-importantes que não são mencionadas pelos idealizadores de tal processo, como por exemplo: segurança e soberania nacional. Para se ter noção, a primeira medida adotada pelo governo americano após o 11 de setembro foi colocar pessoas ligadas ao Estado no controle dos acessos aos seus aeroportos. Por fim, os trabalhadores sustentam que a gestão da Infraero, cada vez mais politizada, seja profissionalizada, com a participação de empregados de carreira, buscando um desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária mais coerente com a Política Nacional da Aviação.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O que são aquelas anteninhas pretas lá na ponta da asa??????


Aquelas antenas são Descarregadores de Estática (Static Dischargers ou Static Wicks). Elas servem para descarregar a energia estática acumulada na fuselagem em virtude do atrito com o ar. É mais ou menos como aquele experimento que a gente fazia na escola, de esfregar um lápis na cabeça (atrito) e depois o lápis atraía os pedaços de papel da mesa (eletricidade). Se não houvessem esses descarregadores (e também TODAS as partes do avião serem interligadas por cabos condutores (bonding)como mostra o desenho abaixo) a energia acumulada interferiria na navegação e nos equipamentos de comunicação.
BondingGraças a esses cabos condutores ligando todas as partes que formam um avião, a eletricidade se dissipa igualmente por cada parte e no caso da aeronave ser atingida por um raio nenhum estrago maior acontece porquê não há partes isoladas. O problema é que normalmente quando um raio atinge um avião, os descarregadores de estática são os que mais sofrem, porquê são o ponto menos resistivo entre a nuvem, o raio e a aeronave.
A foto aqui embaixo é de um descarregador de estática novo de ponta de asa de um Boeing 767. São normalmente 8 em cada asa, e dependendo da posição em que fica, são diferentes.
21/05/2008
Fonte: smart.dj/blog (by Lito)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Frota aérea no Brasil cresceu 18,5% desde 1999 e já supera 12 mil aeronaves

A frota aérea registrada no Brasil encerrou o primeiro semestre de 2009 com um total de 12.178 aeronaves. Comparado ao número registrado há uma década, de 10.274 aeronaves em dezembro de 1999, o crescimento foi de 18,5%. Os dados são do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), administrado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e incluem desde os jatos das grandes companhias aéreas, os aviões e helicópteros particulares, táxi-aéreo, as aeronaves usadas na agricultura, em escolas de aviação, em reportagens e vários outros usos, até mesmo balões e um dirigível.

Se considerados apenas os helicópteros o aumento foi ainda mais significativo: já são 1.255 helicópteros no País, 59% a mais do que em dezembro de 1999. A frota das companhias aéreas que fazem transporte regular de passageiros e carga passou de 435 para 554 aeronaves neste mesmo período, um aumento de 27%.
Os números consideram a quantidade de registros, mas, como é natural, muitas das aeronaves deixaram de ser utilizadas e outras novas foram incorporadas à frota brasileira.
O Registro Aeronáutico Brasileiro também identifica os Estados com o maior número de aeronaves registradas, embora isso represente somente o local de cadastro e não a área de operação de uma aeronave. O Estado de São Paulo lidera esse ranking, com 3.641 aeronaves até 30 de junho deste ano. Em segundo lugar vem Mato Grosso (941), Minas Gerais (911), Rio Grande do Sul (891), Rio de Janeiro (818), Goiás (753), Paraná (718), Pará (715), Mato Grosso do Sul (540) e o Distrito Federal (281).
Fonte: Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) – ANAC