terça-feira, 29 de março de 2011

FATAL FIX (Mayday - Desastres Aéreos)

Episódio do excelente programa "Mayday - Desastres Aéreos", onde uma série de desastres aéreos causados por problemas de manutenção são narrados, seja pela falta dela, por imprudência, falta de treinamento dos mecânicos, falhas de fabricação de componentes cujo o mal funcionamento eram imperceptíveis durante as vistorias periódicas, ou reparos mal feitos.
Acomode-se na cadeira e preste atenção no TAMANHO DA RESPONSABILIDADE e da PRESSÃO no setor de manutenção de uma empresa aérea.

domingo, 27 de março de 2011

A troca de um pneu de avião.

Cuidar de pneus de aviões é coisa séria. Os pneus dianteiros podem ter até 11 recauchutagens antes de ser descartados, mas os traseiros, que sofrem mais impacto pelo peso do avião, apenas 5.
Após 100 voos, chega a hora de trocar o pneu - um processo simples para profissionais, mas que requer muita prática e habilidade.

Apenas 15 minutos! É quanto os mecânicos precisam para trocar uma roda de avião. Veja o vídeo abaixo:

1. Não é só estacionar no posto: é preciso isolar a área, calçar as rodas e fechar portas - isso é para evitar que a fuselagem entorte quando o avião é erguido.
2. A peça-chave para trocar o pneu do avião é um grande macaco hidráulico chamado de malabar. Primeiro, acionado manualmente, ele é só encaixado na aeronave.
3. Uma mangueirinha passa a pressão interna de um pneu para o malabar (vulgo "king-kong") - é tanta pressão que ele consegue erguer o avião. Com o avião suspenso, é retirado o pneu que não está conectado.
4. A porca que segura a roda é solta com a ajuda de um equipamento hidráulico. Recomenda-se tirar a roda com ajuda de um suporte - cada uma delas pode pesar até pelo menos 200 kg.
5. A roda tem de ser colocada ainda com seu pneu desinflado. Com a roda encaixada e presa, o freio é desativado para verificar se ela gira normalmente. Depois, a porca é presa outra vez.
6. Com o avião ainda suspenso, o novo pneu é inflado. E não se usa ar comprimido, mas nitrogênio, que não congela na altitude e demora mais a sair do pneu.
Fonte: Super Interessante via Blog Isso & Outras Coisas

Abaixo, indico esses vídeos que tratam de diversos assuntos ligados ao pneu (tipos, composição, montagem, enchimento etc "in english"):

CTM - CONTROLE TÉCNICO DE MANUTENÇÃO

Pessoal, um tempo atrás trouxe aqui uma postagem do blog do Prof Fernandes acerca do CTM (reveja aqui). Agora, a pedido do amigo-leitor Daniel (feita lá no meu orkut) e em decorrência de eu ter acabado de concluir um curso sobre o tema, trago novamente uma postagem sobre essa função tão importante para uma empresa de manutenção aeronáutica. (Leia abaixo clicando em MAIS INFORMAÇÕES)

terça-feira, 15 de março de 2011

Motor à reação. (excelente animação didática)


(para abrir em tela cheia CLIQUE AQUI)

CENIPA lança campanha de conscientização sobre perigo aviário

Ao dividir o espaço aéreo ao redor dos aeroportos, aeronaves e aves podem se chocar e causar perdas materiais e de vidas humanas. Por conta disso, levando em consideração toda potencialidade de risco à segurança de voo, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), por intermédio da Força Aérea FM, lançou nesta segunda-feira (14/3) uma campanha de rádio para a conscientização sobre o Perigo Aviário, nome que sintetiza o controle do risco de colisões entre aeronaves e aves.
As peças informativas para a rádio apresentam particularidades sobre o Perigo Aviário, com destaque para um dos principais focos de atração de aves na região de aeroportos: o depósito de resíduos sólidos urbanos (lixo). De acordo com o Major Aviador Henrique Rubens Balta de Oliveira, Gerente do Programa de Controle do Perigo Aviário no Brasil, além dos vazadouros, conhecidos vulgarmente como lixões, “há outras atividades instaladas perto de aeroportos que podem servir de atrativos para as aves, por oferecer suprimento às suas necessidades básicas: abrigo, água e alimento”.
Áreas de Proteção Ambiental (APA), áreas de mineração, áreas gramadas, culturas agrícolas e depósitos de grãos, atividades de aquicultura, espelhos d’água, pântanos, valas de drenagem, centros de reciclagem de resíduos sólidos, bosques, construções, criações de animais de corte, dentre outros, são exemplos de locais ou atividades que podem atrair aves, se instaladas na Área de Segurança Aeroportuária (ASA). Esta área foi definida por uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente, de 1995, que e abrange o raio de 20 km (para aeroportos que operam de acordo com as regras de voo por instrumento)  e de 13 km (para os demais aeródromos). Dentro da área de segurança, as atividades atrativas de aves não deverão ser implantadas, enquanto aquelas já existentes devem minimizar seus efeitos atrativos.
A campanha, que será veiculada na Força Aérea FM, apresenta também curiosidades sobre o Perigo Aviário. “A ideia é mostrar que o problema está próximo de todos os cidadãos. Ainda que uma pessoa afirme não usar o transporte aéreo, ela pode ser prejudicada devido à queda de uma aeronave na sua comunidade. Além disso, a maioria das pessoas não sabe que o piloto pode se ferir gravemente se o para-brisa for atingido por uma ou mais aves, e que as colisões podem derrubar uma aeronave”, esclarece Major Rubens.

No Brasil, a média de informações recebidas, nos anos de 2009 e 2010, foi de 950 colisões com aves. Na aviação militar, a colisão com aves já provocou a morte de dois tripulantes militares e a mutilação de outros, entre eles o Capitão Aviador R1 Glauco Ferius, cujo depoimento será veiculado na campanha. É importante ressaltar, de acordo com o Major Rubens, “que o risco de acidentes aumenta à medida que a atividade aeronáutica se expande e as cidades crescem até as proximidades dos aeródromos”.
O papel do Comando da Aeronáutica no Gerenciamento de Risco Aviário
Segundo a Portaria Normativa do Ministério da Defesa, nº 1.887, de 22 de dezembro de 2010, o Comando da Aeronáutica, representado pelo CENIPA, identifica os focos de atração de aves localizados fora da área do aeroporto, efetua o registro estatístico das ocorrências e informa à ANAC os focos de atração. A partir daí, a ANAC executará as medidas cabíveis para a eliminação do risco.
Fonte: CENIPA

sexta-feira, 11 de março de 2011

Mais uma prova da capacidade dos B727-100.


Pessoal, recebi esse e-mail e compartilho aqui com todos....

B727-100 Salve-se quem puder!


105 assentos, 360 passageiros!

Esta história aconteceu em 1972, no final da guerra do Vietnã... (clique em MAIS INFORMAÇÕES para continuar essa história espetacular)

quarta-feira, 9 de março de 2011

Uma visita ao Aeroclube de Planadores Albatroz (por Castilhos)

Passei uma manhã por lá. E estão se preparando para o campeonato nacional de vôo a vela. Os melhores do Brasil fazem a equipe brasileira para disputar o campeonato mundial de vôo a vela.
No Aeroclube de Planadores Albatroz, os voos com planadores foram iniciados em 1939 pela VARIG Aero Esporte (VAE). Em 1950 foi sucedida pelo Aeroclube de Planadores Albatroz que em 2010 completou 60 anos de atividades, tendo formado inúmeros pilotos de planador e de aviões a motor.

*** Como funciona de forma suscinta o voo de planador?
Após serem desligados do avião rebocador, os planadores podem voar durante muitas horas utilizando as correntes de ar ascendente. O ar aquecido junto ao solo sobe, gerando as "ascendentes térmicas". E os bons ventos que são defletidos pelos morros geram as "ascendentes de colina".
O aprendizado do voo com planadores é mundialmente reconhecido por proporcionar a melhor base técnica para a profissão de piloto de aeronaves. Além disso voar com planadores é um excelente esporte.

A cidade de Osório/RS é sede do Aeroclube Albatroz.e um lugar simplesmente mágico.Quem for para visitar, poderá além de visitar os hangares, informar-se sobre a possibilidade de realizar um voo de adaptação.
Visite a cidade.Vá ao morro da Borússia e desfrute de um visual lindissimo.Visite o parque eólico.

Site do Aeroclube: http://www.albatroz.com.br/

Castilhos-MMA-Aviônica IV Senai -SJ

segunda-feira, 7 de março de 2011

sexta-feira, 4 de março de 2011

Dificuldades com Paquímetro e Micrômetro????? Assista às aulas aqui.

Pessoal, estou (re)estudando as matérias do Módulo Básico que fiz em 2009 e, como pretendo fazer a Banca da ANAC esse ano ainda, resolvi começar a relembrar o conteúdo ministrado lááá trás.
Pois bem, resolvi começar pelo capítulo 12 das apostilas da ANAC, Ferramentas Manuais e de Medição. Lá está descrito o funcionamento de duas ferramentas importantes que para muitos são de manuseio complicado: Paquímetro e Micrômetro.
Então, segue abaixo alguns links de vídeo-aulas do programa Telecurso 2000. Essas aulas são excelentes para o entendimento. E mais, sei que muitos alunos não possuem tais ferramentas em casa para um estudo mais prático, então aconselho o acesso ao site do Prof Stefanelli, onde ele disponibiliza o Micrômetro e o Paquímetro de forma virtual. Daí será possível fechar o aprendizado. Agora, se você já tiver acesso a um desses instrumentos, melhor ainda.
Bons estudos.

- VÍDEO-AULAS DE PAQUÍMETRO

  1. Paquímetro - tipos e usos
  2. Paquímetro - sistema métrico
  3. Paquímetro - sistema inglês
  4. Paquímetro - conservação
  5. PAQUÍMETRO VIRTUAL (by Prof Stefanelli)
- VÍDEO-AULAS DE MICRÔMETRO

quinta-feira, 3 de março de 2011

Nunca saia de casa sem uma "silver tape"......

Durante uma excursão de pescaria no sertão do Alaska, o piloto do avião fretado e o pescador deixaram um cooler com as iscas no avião. E um urso farejou...
O piloto entrou em contato por rádio e outro piloto trouxe dois novos pneus, três caixas de fita adesiva tipo Silver Tape e um suprimento de folha plástico em rolo.
Recobriu o avião e voou para casa!
Vejam o que ocorreu com o avião :





Fonte: mais uma contribuição do nobre amigo Castilhos, aluno do SENAI - MMA-AVI IV