domingo, 4 de abril de 2010

LPM - LEIA A P$O#R&R*R%A DO MANUAL. Primeira regra de um MMA.

Um pequeno fusível, um grande erro!
    ( Talvez vocês entendam agora, sobre postura e cuidados!!!!)
Um Airbus 340-600 ainda na fábrica, ainda não tinha voado, estava com 9 técnicos da companhia aérea a bordo, e foi para a área de run-up , onde são realizados testes de motores. Nenhum funcionário da Airbus, fabricante da aeronave, estava a bordo. O avião estava vazio, sem peso. Na área de run-up, sem ter colocado calços na aeronave, apenas aplicado os freios, as equipes atacaram full power (toda a força) nos 4 ( quatro )motores.
Como o "take-off warning" começou a alarmar ("buzinar"), avisando que o avião não estava configurado para decolagem (flaps, slats, etc.), um dos funcionários desligou o sinal de "ground sense" (uma lógica de sensores que informa para os computadores que a aeronave está no chão) para o alarme de take-off parar de soar. De fato, o alarme parou de tocar. Ocorre que ao desligar o sinal, puxando o "circuit breaker" (fusível), os computadores entenderam que o avião estava voando. Sendo assim, os computadores desativaram todos os freios (lógica da programação do computador de bordo que evita o avião de pousar com freios aplicados). Bom, o avião saiu com a macaca (com tudo!), e não deu tempo dos funcionários tomarem qualquer iniciativa de reduzir os motores (ou desligá-los), reativar o CB (fusível) de "ground sense" ou aplicar freios, que também não iriam segurar o avião nessas condições.
A colisão com o obstáculo foi inevitável. ... percebam o que o desligamento "impensado" de um simples fusível pode ocasionar ???? ...e depois não adianta dar explicações... a "m...a" está feita ! Então o melhor a fazer é ter bom senso, não se mexe em nada, pois um gesto impensado pode acarretar grandes danos ( no caso irreparáveis) E também a demissão sumária e irreversível. (by Prof. Generoso)

Foto meramente ilustrativa

3 comentários:

Etevaldo Martins disse...

Read The Fucking Manual - Leia a P....O....R...R...A do manual.
Já falei algumas vezes essa frase e, felizmente, só a ouvi direcionada a mim, uma vez apenas (rsrsrsrs)
Abraço e parabéns pelo espaço,
Etevaldo Martins - MMA em SP

José Carlos Fernandes Pereira disse...

Na área de operações de grandes companhias aéreas , o treinamento de pilotos é bem rígido no que se refere a filosofia operacional. Cada fabricante de aeronave tem sua própria filosofia operacional e isto é muito relevante para quem vai operá-las. Infelizmente na manutenção de aeronaves este aspecto é pouco divulgado e os treinamentos nem sempre são focados nessa questão. O pior é quando as pessoas que fazem manutenção em aeronaves não recebem o treinamento específico daquele modelo e passam a contar com a experiência do mecânico achando que experiência é tudo. Experiência é sem dúvida um fator muito importante , a experiência sem treinamento e sem o conhecimento empírico é algo perigoso. As aeronaves da Airbus são aeronaves moderníssimoas e super seguras, mas se as pessoas que irão trabalhar com elas não tiverem o treinamento necessário e achar que elas são semelhantes a outros tipos de aeronaves podem cometer erros como esse relatado no texto. A automação é facilitadora e foi concebida para evitar erros , mas se alguma informação for inserida erradamente para os computadores eles responderão de acordo com o que estiver sendo informado e, se outras configurações estiverem em acordo com o programa eles efetuarão a operação. Por isso, sempre que trabalhar em uma aeronave não basta apenas ler o manual, é necessário ter o treinamento adequado.

Heinz disse...

Belíssima observação Fernandes. Tens toda razão quando atentas para o fato de que nos dias de hoje é necessário treinamento específico além da leitura dos manuais.
Nos próximos posts acerca do assunto, colocarei esse adendo que acabei de aprender contigo.
Abraço,
Heinz